Falando sobre cor de torras

Olá pessoal.

Muito se fala sobre a cor das torras. Torra clara, torra média, torra escura, alguns até mencionam Agtron, o famigerado código de cor cujo padrão de fábrica prevê duas calibragens (comercial ou gourmet), mas que na prática não reflete a totalidade de realidade do processo de torra.

"Eu quero torra Agtron 60", alguns dizem. Mas como exatamente foi torrado esse grão de café para se obter essa tonalidade?

Lotes diferentes desenvolvem de formas distintas e grãos fermentados ainda podem responder ao calor de forma inesperada.

O que dizer então de nossos cafés fermentados e maturados em barris, cujo impacto de umidade não pode ser desconsiderado nessa equação?

Apesar de haver monitoramento constante, os cafés verdes podem absorver um pouco de umidade ambiente em que se encontram, especialmente em barris de madeira. Há ainda o fator grão mole ou duro, o nível de açucares constantes no grão e o tipo de maturação em barril a que foi exposto.

É por tudo isso que é impossível apresentar um produto final satisfatório, na xícara, sem efetuarmos teste de prova com várias torras diferentes em um mesmo lote.

Nós gostamos muito da torra por perfil, dessa forma experimentamos com pré-secagem, curvas de secagem inicial, plateaus de desenvolvimento e finalização pós crack de formas diferentes, procurando obter assim, o melhor potencial daquela nano lote que iremos trabalhar.